Allez les vert.

20 11 2009

A vida nunca foi fácil para o povo da Irlanda.

Desde sempre desfavorecidos geograficamente, isolados do continente em uma ilhota de terras vulcânicas onde a fertilidade praticamente só permitia o cultivo de batatas, mesmo assim o povo irlandês sempre foi um dos mais felizes da Europa.

A vida também nunca foi fácil para quem enfrenta o povo irlandês.

Por isso, a Inglaterra nunca os subjugou, como faz até hoje com Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte no Reino que de Unido não tem nada.

Os Irlandeses sempre defenderam sua pátria com unhas, dentes e bombas, se necessário.

Nos sete anos em que morei em Dublin, assisti a quatro jogos no belo e pequeno estádio de Landsdowne Road.

A Irlanda não perdeu nenhum deles.

Ok, também não ganhou partida alguma, mas para o torcedor Irlandês, sua equipe saiu vencedora em todas.

Foram quatro empates muito celebrados, duas vezes contra o Brasil, um contra Portugal e outro contra a Escócia.

No jogo contra a Escócia, presenciei um incidente que ilustra bem a maneira que o povo Irlandês encara a vida.

Era apenas um amistoso e o adversário abriu o marcador logo no início.

Apesar de ficar atrás no placar durante quase o jogo inteiro, a torcida local fez uma grande festa, cantando junto aos “primos” escoceses músicas contra a Inglaterra e o seu então treinador Kevin Keegan.

Era como se fomentar no vizinho o sentimento de liberdade e se colocar a disposição para ajudar na batalha fosse mais importante do que vencer a partida.

O povo Irlandês tem duas paixões na vida: bebida e futebol.

É claro que a  representatividade da bebida é maior, cerca de 99,%.

Mas o futebol também é muito importante pra galera.

Lembro que me surpreendi quando, ainda no aeroporto, o funcionário da imigração, ao ver que eu era brasileiro, escalou para mim a seleção de 70 inteirinha, com direito a um Jairzinho cheio de sotaque.

Ainda pelo simples fato da minha nacionalidade, logo no primeiro mês fui convidado para treinar uma equipe de crianças, o Enniskerry School Boys.

Aceitei o desafio e dei a minha parcela de contribuição para a feiura do futebol local.

Cada garoto de minha equipe ganhou pelo menos um souvenir do Vasco da Gama (de camisas a chaveiros passando por figurinhas e posters) e ficamos em último lugar no campeonato daquele ano.

Na temporada seguinte fomos campeões.

Ta vendo como é fundamental dar sequência, Dorival?

Na Irlanda muito mais importante do que ganhar, é competir. Até porque eles quase nunca ganham.

Por isso, chamam as eliminatórias de Primeira Fase da Copa e a Copa propriamente dita é considerada World Cup Finals.

Pois na última quarta-feira, a Irlanda não só ia ganhar uma partida, como ia para as finais do Copa. O adversário era a poderosa França, que jogava pelo empate, em casa.

Enquanto assistia o jogo, me comovia com o esforço e dedicação cavalares dos irlandeses.

Esse jogo representava a última chance de juma geração de jogadores que são desconhecidos no Brasil, mas verdadeiros heróis nacionais em seu país.

Nomes como Damien Duff. Kevin Killbane, Sahy Given. E o autor do gol e “craque” do time, Robbie Keane.

O pote de ouro no fim do arco-iris parecia se materializar a frente de milhões de paddys embriagados.

Os irlandeses dominaram o jogo inteiro e criaram inúmeras chances, mas a pouca qualidade os impediu de ampliar o placar e resolver a parada no tempo normal.

Veio a prorrogação e o sofrimento.

Aos 10 do segundo tempo, veio o roubo e a vergonha.

Escrevo este texto um pouco tarde, o jogo foi na quarta e hoje é sexta-feira. É que estava tão revoltado que não queria nem comentar o assunto.

Só que quando eu vi a declaração do Henry no jornal de hoje, dizendo que colocou a mão na bola sim, mas que a culpa foi do juiz que não marcou, não consegui mais ficar calado.


Então o sujeito entra no banco, mete a mão no cofre, sai cheio de dinheiro na cara do segurança, e quando a polícia o pega ainda diz:

– Porque estão me prendendo? A culpa é do guarda que não me impediu de roubar…

Toma vergonha na cara, Henry.

Você roubou dos pobres, enterrou em lama uma performance épica do time verde e sepultou a esperança de uma nação que acredita em lepperchauns.

E ainda quer sair de bom moço, como se não tivesse culpa no cartório?

Índole você já mostrou que não tem, Henry, que tenha pelo menos culhões.

Je suis desolé.

Henry fil de putaine.

Vive les vert.

Glub.

Atualizado em 22/11

E viva o Esmeraldino Goiano que hoje calou 80.000 favelados no Maraca!

Allez les vert du Goianiá!

Glub.

Anúncios

Acções

Information

4 responses

21 11 2009
Bacalhau

muita sacanegem o que fizeram. sempre gostei da Irlanda, que sempre considerei o Ameriquinha da Europa, time simpatico, limitado, esforçado e de jogadores muito engraçados pela feiúra e falta de intimidade com a bola.

Durante os anos 80, era chamado aqui no Brasil de Eire, deve ter algo a ver com o regime militar.

Nao sei se é esse Irlanda que na copa de 82 tinha um goleiraço chamado Pat Jennings e um avante chamdo Armstrong que era desengonçado mas matador. O resto do time era uma merda.

Teve tambem uma das Irlandas que em 86 tomou um golaço do Josimar na copa e perdeu pro Brasil na primeira fase. Acho que era essa do Jennings também…

A França é o urubu da Europa, sempre precisando da ajuda do juiz para chegar a algum lugar. Seleção maldita. Que seja eliminada na primeira fase da Copa! Por alguma seleção africana com uniforme de cor verde!

22 11 2009
Zé do Pipo

Eire é Irlanda em Gaélico. A língua original nunca foi perdida e é ensinada nas escolas até hoje, fator fundamental para manutenção da identidade nacional.
O Armstrong e o Jennings são da Irlanda do Norte, que sempre foi superior, mas desde 1990 só dá a República.
Alías jamais chamá-los de Irlanda do Sul, eles são a Irlanda, se os bundões do Norte se entregaram problema deles.
Segundo Freud sua psicanálise se aplica a todos os povos do mundo, menos o Irlandês, que é inanalisável.
Irlandês é vingativo.
A Irlanda esteve na Copa de 90, quando foi derrotada pela Itália por 1×0.
Na Copa de 94 marcou presença novamente e conseguiu o resultado mais expressivo de sua história, uma vitória sobre a mesma Itália pelos mesmos 1×0.
Um dos heróis deste time, Tony Cascarino é hoje comentarista da RTE, TV local e publicou um editorial furioso sobre a desmoralização que se impôs ao futebol mundial na última quarta-feira.
Glub.

20 11 2009
João Medeiros

Cara,

Teus textos são todos muito bons. Divertidos, com uma pitada de sátira. Mas dessa vez você se superou, meu velho. Saiba que minha simpatia estava toda com a Irlanda. Simpatia que aliás começou há muito. Lembro de incontáveis filmes com referências à Irlanda, todos muito bons. Foram um dos principais traços colonizadores da América. E se a América hoje é um país que se orgulha de sua capacidade produtiva e de trabalho, deve muito aos Irlandeses, que ajudaram a expandir a fronteira oeste dos EUA, encarando os desafios de forma resoluta, até encontrar as águas do Pacífico. Povo alegre e festivo, chegado a uma cerveja como poucos. Merecia melhor sorte, não resta dúvidas. Foi uma putaria o que houve em Paris. Aliás, o local era bem apropriado para uma sacanagem. Um abraço.

22 11 2009
Zé do Pipo

Grande João, sempre admirei a Irlanda e comprovei a alegria e hospitalidade no tempo em que estive lá. Me identifiquei tanto com a cultura que voltei com dupla cidadania. Você não imagina a festa que foi na Irlanda por participarem da Copa do Japão. Cada empate era comemorado como uma vitória na final. Muita sacanagem o que fizeram com eles e concordo com você, o Parc de Princes já virou Jardim das Delícias com putaria a dar com o pau. Abração! Glub, Zé.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: